domingo, 5 de março de 2017

SUPERLIGA 2016/17:Rexona-Sesc leva a melhor no clássico e vence o Vôlei Nestlé

Rexona-Sesc leva a melhor no clássico e vence o Vôlei Nestlé
Monique foi um dos principais destaques na vitória do Rexona-Sesc

Uma arena digna de um super jogo recebeu o maior clássico do voleibol feminino do Brasil. Na noite desta sexta-feira (03.03), Rexona-Sesc (RJ) e Vôlei Nestlé (SP) se enfrentaram na Jeunesse Arena, que fica dentro do Parque Olímpico, no Rio de Janeiro (RJ), e diante de um bom público de 2.402 pessoas, o time carioca levou a melhor, vencendo por 3 sets a 1, com parciais de 25/20, 21/25, 25/21 e 25/15, em 1h50 de partida. Desta vez, o duelo foi válido pela nona rodada do returno da Superliga feminina de vôlei 2016/2017.

Com os três pontos conquistados nesta noite, o Rexona-Sesc passou a 56 (19 vitórias e uma derrota), se mantendo na liderança e aumentando a vantagem diante do segundo colocado, justamente o Vôlei Nestlé, que se manteve com 45 depois de 15 resultados positivos e cinco negativos.

A oposto Monique foi uma das principais responsáveis pela vitória do Rexona-Sesc. Com destaque, foi a mais votada no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), e foi premiada com o Troféu VivaVôlei, programa de responsabilidade social da entidade, que atende crianças de 7 a 14 anos por meio de escolinhas de vôlei.

“Fiquei feliz porque o ginásio estava bem cheio, mesmo sendo longe para algumas pessoas e depois da chuva forte que caiu aqui no Rio. Espero que continue assim. Jogar contra o Vôlei Nestlé é sempre enfrentar uma partida com nível de final. Foi um ginásio diferente, com bastante gente, é um clássico, essa rivalidade que existe ao longo dos anos traz isso para dentro de quadra. Hoje pareceu mesmo um jogo de final”, disse Monique.

Apesar do resultado negativo do seu time, a oposto Paula, que começou no banco e entrou durante a partida, foi a maior pontuadora da partida, com 21 acertos. Sua companheira de time, a ponteira Tandara não teve muita explicação sobre o porquê do seu time não ter conseguido a vitória nesta noite, mas destacou que o grupo precisa evoluir para conseguir os bons resultados quando joga fora de seus domínios.

“Agora não sei explicar o que vem acontecendo com o nosso time fora de casa. No nosso ginásio, estamos invictos, mas fora não estamos tão bem. Infelizmente, hoje veio a derrota e agora temos que trabalhar ainda mais do que antes para, fora de casa, a vitória vir também”, afirmou Tandara, do Vôlei Nestlé.

Na décima rodada, o Rexona-Sesc terá mais um importante desafio, novamente na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro. Desta vez, o adversário será o Camponesa/Minas (RS), na terça-feira (07.03), às 20h, com transmissão no facebook da CBV. Já o Vôlei Nestlé irá ao interior de São Paulo enfrentar o Renata Valinhos/Country (SP), no mesmo dia, às 20h30.

Festa da torcida

Os torcedores que estiveram na Jeunesse Arena nesta noite, a maioria do Rexona-Sesc, fizeram a festa. O grupo cantou o tempo todo e vibrou com cada ponto da equipe carioca. Uma das mais animadas era a estudante Jamile dos Santos, de 21 anos. Acostumada a frequentar o ginásio do Tijuca, casa tradicional do time dirigido por Bernardinho, a torcedora festejou a mudança para o ginásio na Barra da Tijuca nestes últimos jogos da fase classificatória.

“O Tijuca é a nossa casa e nos sentimos muito bem lá, claro, mas aqui é tudo bem mais estruturado. Só de estarmos com ar condicionado, sem sentir aquele calorão, já é muito melhor”, brincou Jamile, que está se preparando para estar nos dois próximos compromissos do Rexona-Sesc na Jeunesse Arena. “Quero ver contra o Camponesa/Minas na terça e depois contra o Dentil/Praia Clube, na sexta da semana que vem. Espero que dê tudo certo”.

A iniciativa de fazer esses três últimos jogos da fase classificatória na Arena do Parque Olímpico partiu da CBV e foi abraçada pelo Rexona-Sesc, que liderou a negociação e o acerto para esta nova oportunidade para as equipes e torcedores.

O JOGO

A partida começou com ace de Dani Lins. O Rexona-Ades respondeu com ponto de bloqueio. A partida seguiu com equilíbrio com o empate em 4/4. Na sequência, a equipe carioca abriu dois de vantagem em 7/5. O time de Osasco deixou tudo igual em 8/8. Com a holandesa Ana bem em quadra, o Rexona marcou 11/8 e Luizomar de Moura pediu tempo. A vantagem do time da casa ainda foi a 14/11. Quando o placar foi a 17/12, o Vôlei Nestlé parou o jogo. Na volta, com bom saque de Monique, o Rexona-Ades marcou 18/12. Com ponto de bloqueio de Carol, o time do Rio de Janeiro chegou a 21/16. No final, melhor para o Rexona-Sesc, que fechou em 25/20.

Bem no bloqueio, o Rexona-Sesc começou melhor o segundo set e, quando abriu 4/0, o Vôlei Nestlé pediu tempo. O time paulista encostou em 4/5. Com Gabi pelo fundo meio, o time carioca fez 8/6. No bloqueio, o Vôlei Nestlé chegou ao ponto de empate: 10/10. Contando com erros do adversário, o time da casa voltou a colocar dois de vantagem em 14/12. O Vôlei Nestlé voltou a encostar (17/18) e foi a vez do Rexona-Sesc pedir tempo. Na volta, a equipe paulista deixou tudo igual (18/18). Embalado, o Vôlei Nestlé ainda chegou a 20/18 e levou o adversário a parar o jogo mais uma vez. O Vôlei Nestlé chegou a 22/20. A equipe visitante, então, levou a melhor e fechou o segundo set em 25/21.

O Rexona-Sesc saiu na frente na terceira parcial e, três vezes com Monique, abriu 3/0. Mais uma vez, o Vôlei Nestlé buscou e virou o placar para 5/4. Neste momento, Bernardinho pediu tempo. Com Juciely, o time carioca voltou a assumir o comando do marcador: 6/5. Com Ana pontuando no ataque e no bloqueio, o Rexona-Sesc marcou 8/6. As equipes estiveram empatadas em 10/10. Com Gabi, a equipe do Rio fez 15/13. Na bola de segunda de Roberta, 17/15. Com Monique, o Rexona chegou a 21/17. O time da casa seguiu melhor e fechou em 25/21.

Mais uma vez, o Rexona-Sesc abriu 2/0 e o Vôlei Nestlé empatou em 2/2. Com Tandara no saque, o time paulista chegou mais uma vez ao empate (6/6). Quando o placar apontou 10/7 para o grupo comandado por Bernardinho, o adversário pediu tempo. Bem no bloqueio, o Rexona-Sesc chegou a 15/9. Com ponto de saque de Carol, 16/9 e pedido de tempo de Luizomar de Moura. O Rexona-Sesc seguiu sem dar facilidade ao adversário e fechou o último set em 25/15.

EQUIPES

REXONA-ADES – Roberta, Monique, Juciely, Carol, Ana e Gabi. Líbero – Fabi

Entraram – Drussylla, Helô, Camilla Adão

Técnico: Bernardinho

VÔLEI NESTLÉ – Dani Lins, Bjelica, Natália, Ana Beatriz, Tandara e Malesevic. Líbero – Camila Brait

Entraram – Paula, Gabi, Clarisse, Carol Albuquerque

Técnico: Luizomar de Moura

Outros resultados da rodada

O Genter Vôlei Bauru (SP) conseguiu boa vitória em casa. Diante do Rio do Sul (SC), a equipe fez 3 sets a 0 (25/21, 25/23 e 25/23), em 1h30 de jogo. A central Valquíria levou o Troféu VivaVôlei e Bruna, também do Bauru, foi a maior pontuadora, com 14 acertos.

O São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) levou a melhor sobre o Sesi-SP e, diante de sua torcida, fez 3 a 0, com parciais de 25/19, 25/23 e 25/17, em 1h28. O VivaVôlei foi para a central Andressa, que também foi a maior pontuadora do confronto, com 16 acertos.

O Fluminense (RJ) conseguiu uma vitória sobre o Pinheiros (SP) no quinto set. A equipe carioca venceu por 3 sets a 2, com parciais de 25/17, 23/25, 25/18, 25/27 e 15/5. Depois de 2h34 de partida, a oposto Renatinha recebeu o Troféu VivaVôlei e ainda foi a maior pontuadora da partida, com 25 acertos.

O Terracap/BRB/ Brasilia(DF) foi ao interior de São Paulo e levou a melhor sobre o Renata Valinhos/Country (SP) por 3 a 2 (20/25, 25/16, 25/19, 16/25 e 16/14), em 2h14 de jogo. A central Vivian teve atuação destacada foi premiada com o Troféu VivaVôlei.

Fonte: Divulgação CBV
Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/CBV
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...