sábado, 28 de janeiro de 2017

COPA DO BRASIL 2017: Em jogo emocionante, Camponesa/Minas vence o Vôlei Nestlé e disputa o título

Em jogo emocionante, Camponesa/Minas vence o Vôlei Nestlé e disputa o título da Copa Brasil

Não foi fácil, mas o Camponesa/Minas está na final da Copa Brasil. O time derrotou, na noite dessa sexta-feira, em Campinas, no interior de São Paulo, o Vôlei Nestlé, por 3 sets a 2 (27/29, 25/23, 27/29, 25/22 e 15/10). O duelo foi um verdadeiro teste para o coração, e reuniu diversos nomes do voleibol brasileiro e internacional. Nas arquibancadas do Ginásio do Taquaral, quase três mil torcedores vibraram muito com a espetacular vitória minastenista. Agora, neste sábado (28/1), às 21h, o time vai decidir o título nacional contra o Rexona-Sesc, atual campeão da competição, que venceu o Dentil/Praia Clube, de Uberlândia (MG).

O JOGO

O equilíbrio deu tom do jogo no início do primeiro set. As equipes se revezavam na liderança do placar, até que o Minas abriu vantagem e chegou a ter 23 a 21, com um forte bloqueio - foram cinco pontos no fundamento. Só que o Osasco arrancou uma reação. O Minas ainda colocou Jaqueline em quadra, mas a bicampeã olímpica não conseguiu evitar a virada. A ponteira foi bloqueada no ponto que fechou a parcial em 29 a 27 para o time paulista.

O Minas mostrou logo que não se abalou e abriu 4 a 0 no segundo set. O Osasco novamente reagiu. O técnico Paulo Coco então trocou de levantadora, colocando a experiente Karine no lugar de Naiane. Deu certo. O Minas voltou a abrir boa vantagem. O Osasco não jogou a toalha e chegou até a liderar o placar, mas desta vez o time mineiro não deixou o set escapar. Liderado pela americana Destinee Hooker, o Minas fechou em 25 a 23 e empatou a semifinal.

O terceiro set foi equilibrado do início ao fim. Ora o Minas tentava deslanchar no placar, ora o Osasco buscava abrir vantagem, mas sempre os times reagiam e empatavam. Assim, a parcial foi decidida no detalhe. Não faltou garra em um rali de pouco mais de um minuto na reta final, e o Osasco venceu por 29 a 27.

O quarto set começou com o Osasco abrindo 2 a 0, mas um erro de escalação do time paulista mudou o placar. Saraelen estava em quadra no lugar de Natalia. A arbitragem seguiu as regras do vôlei, retirou os pontos do Osasco e deu um ponto ao Minas. O erro incomum inflamou as paulistas, que não demorou a liderar o placar e abrir cinco pontos (10 a 5). O Minas colocou Jaqueline em quadra e cresceu até empatar em 18 a 18. Jaque, Pri Daroit e Hooker comandaram uma incrível virada com direito a sete bloqueios. Com 25 a 22, a equipe mineira conseguiu levar a semifinal ao tie-break.

No set decisivo, brilhou o talento de Carol Gattaz, escolhida a melhor jogadora da partida. O minas não deu qualquer chance ao Osasco e venceu por 15/10.

O grande destaque do jogo dessa sexta-feira foi o conjunto. O elenco inteiro do Camponesa/Minas ouviu as instruções do técnico Paulo Coco e teve muita frieza em momentos decisivos da semifinal. A norte-americana Hooker mostrou para o que veio. A Rainha Negra destruiu no jogo e comandou o ataque minastenista ao lado de Pri Daroit e Rosamaria, que vem sendo uma das principais pontuadoras da Superliga.

Fonte: Minas Tênis Clube e Globo Esporte
Foto: Divulgação
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...