sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

SUPERLIGA 2016/17: Em grande emocionante, Rexona-Sesc supera o Terracap/BRB/Brasília Vôlei

Em grande emocionante, Rexona-Sesc supera o Terracap/BRB/Brasília Vôlei

O confronto entre líder e vice-líder não poderia ser diferente. Embora o Rexona-Sesc tenha vencido o Terracap/BRB/Brasília Vôlei por 3x1 na noite desta quinta-feira (8), no Tijuca Tênis Clube, a partida foi marcada pelo equilíbrio entre o time de Bernardinho e o de Anderson Rodrigues. As parciais foram 25/22, 14/25, 25/21 e 25/23.

Se em time que está ganhando não se mexe, Anderson optou por manter a fórmula que deu a vice-liderança para o Terracap/BRB/Brasília Vôlei. Para tentar vencer o favorito Rio de Janeiro colocou em quadra Macrís, Paula Pequeno, Amanda, Vivian, Roberta, Andréia e a líbero Silvana. O confronto marcou também o primeiro reencontro entre o mineiro e Bernardinho, campeões olímpicos pela seleção masculina.

O jogo

O primeiro set começou com o Brasília na frente. No contra-ataque, a central Roberta explorou o bloqueio e abriu o marcador. O equilíbrio logo foi estabelecido e as equipes trocaram pontos (5/5). A virada para as cariocas veio com Monique cravando do fundo da quadra, também no contra-ataque (6/5). Os ataques de Gabi e da holandesa Anne Buijs ajudaram o Rio a ampliar (11/7). No ace de Vivian o Brasília encostou novamente (15/14), fazendo Bernardinho pedir tempo. Após a parada, Paula Pequeno virou uma bola na diagonal e empatou (15/15). A reta final foi melhor para as mandantes, que fecharam em 25/22.

No segundo set o Rio já iniciou forçando o saque, dificultando a recepção do Brasília, abrindo (4/1). A igualdade veio após ataque para fora de Monique (4/4). Em seguida Amanda bloqueou e virou em (4/5). O confronto continuou com muito equilíbrio, principalmente nos bloqueios. Paula e Vivian, em bloqueios individuais, marcaram duas vezes em seguida (8/10). A boa sequência de saques de Roberta fizeram o Brasília ampliar (9/15). Com uma grande atuação de Amanda, bastou administrar o set com experiência e na diagonal de Paula Pequeno terminou em 14/25.

O retorno à quadra para o terceiro set veio logo com um ataque em paralela de Paula Pequeno, fazendo (0/1). A torcida na Tijuca tentava empurrar o Rio, mas por vezes o ginásio ficava em silencio, apenas prestigiando os grandes ralis e aulas de bloqueio e ambas as partes. Macrís dava um show de distribuição, principalmente nas bolas rápidas com Vivian pelo meio de rede (16/16). O final do set foi bastante disputado, mas aproveitando mais o saque o Rio concluiu por 25/21.

O set decisivo parecia continuação dos anteriores. A igualdade se manteve e o Brasília não abriu mão de levar o confronto para o tie-break. Macrís em bola de segunda colocou sua equipe à frente (8/10). A relação bloqueio e defesa do Rio fez a diferença nos últimos pontos e conseguiram fechar o jogo em 3 sets a 1, última parcial de 25/23.

A levantadora Macrís Carneiro, um dos destaques, faz uma análise da partida. “Todos sabemos da grande potência que é o Rio e para vencer precisaríamos fazer tudo 100%. Em determinados momentos não soubemos aplicar o que temos de melhor, que é tranquilidade, e aí dificultou muito. Não conseguimos lidar com a tensão dentro de quadra, mas tudo bem, agora é focar no próximo jogo”, enfatiza.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Brasília Vôlei
Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/CBV
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...