terça-feira, 12 de julho de 2016

SELEÇÃO FEMININA: José Roberto consultará suas comandadas antes de decidir a líbero que irá ao Rio-2016


José Roberto consultará suas comandadas antes de decidir a líbero que irá ao Rio-2016

Faltando menos de um mês para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro a disputa pela vaga de líbero que irá disputar o torneio de vôlei está cada vez mais acirrada entre a titular Camila Brait e a reserva Léia. E isto ficou ainda mais notório após a partida entre Brasil x Rússia pela segunda rodada da Fase Final do Grand Prix, em Bancoc, na Tailândia quando Léia se destacou.

O técnico brasileiro admite que não será uma escolha fácil e busca palavras ao falar de cada uma: “- Eu vou pedir a opinião não só da comissão técnica, mas também das jogadoras. É uma situação extremamente delicada e difícil de ser resolvida. Mas é em função do que está acontecendo no momento e de performance. E de como as jogadoras estão se sentindo dentro da quadra. É importante também a avaliação que elas estão fazendo. Para que possamos decidir, em conjunto, no momento, quem vai ser melhor. É uma decisão muito complicada e que está me tirando o sono. Elas são muito parecidas na maneira de jogar e de ser. A Leia, acho, está um pouco mais constante no passe. A Camila, um pouco mais constante na defesa. Depende muito do que o time vai precisar mais. Se é constância de passe, de defesa. Nós temos opções também que podem entrar para ajudar no passe. Enfim. Isso vai depender muito de como o time vai se sentir. Eu não vou jogar. O feedback que as jogadoras derem, de como elas estão se sentindo lá dentro, vai ser importante”, diz.

Léia após boa temporada no time do Minas foi a primeira jogadora a se apresentar na seleção para a temporada e tratou de uma lesão muscular na coxa junto à equipe médica de José Roberto Guimarães. Foi elogiada durante os treinos em Saquarema e teve suas oportunidades num dos amistosos contra a República Dominicana, na fase de classificação do Grand Prix e em jogos da Fase Final. Ela tenta mostrar que tem condições de estar nos Jogos do Rio, porém, apesar da disputa interna, elogia sua companheira de seleção e concorrente pela vaga olímpica.

“- Temos de estar preparadas. Desde o primeiro dia que cheguei, não posso reclamar. O trabalho é dado para todo mundo. Eu estou aproveitando ao máximo. E agradeço por ter essa oportunidade. Conversamos (ela e Camila) muito, nos damos muito bem e nos gostamos. Quem estiver lá dentro, quer o melhor para o Brasil, para a equipe. Não temos essa rivalidade. Temos a rivalidade de fazer uma melhorar mais, uma estar melhor e puxar a outra. É gostoso e saudável”, disse Léia.

Do outro lado da moeda, Camila já sabe como é viver um corte. A líbero chegou a viajar para as Olimpíadas de Londres, mas foi cortada dando lugar a Natália, que na ocasião ainda se recuperava de lesão. Mesmo assim, agora, Camila tenta mostrar forças e condição para a disputa de sua primeira Olimpíada. Ela afirma que tem que ter cabeça boa, no lugar a aproveitar as oportunidades.

O técnico brasileiro tem de entregar a lista final até o próximo dia 1º de agosto e evitar fazer cortes muito antes do limite, pois em caso de lesão, terá de chamar uma atleta já não tão empolgada quanto as que já estão com o grupo desde o início da temporada.

“- Acho que a briga está muito parelha. É uma situação difícil. Vai ser muito complicada. Bem como as outras decisões de cortes. Olimpíada é momento. Pode vir muito bem e depois cair. É período, e isso acontece, como já aconteceu. Vamos ver as brigas pelas posições. Não dá para ter a definição exata daquilo. Vamos ver como o time vai se comportar. Ainda não coloquei uma data, mas não podemos ir muito longe. Vamos ver agora, na volta, o que fazer, já pensando nessas posições. Não dá para prorrogar até muito próximo. Mas tem o problema das contusões. O perigo é ter uma contusão agora e ter que chamar de volta. Já vai estar desacelerada, com a cabeça de que foi preterida. Principalmente em posições chaves, como líbero e levantadora.”

Mas não é só na posição de líbero que a disputa está acirrada. Entre as levantadoras, Roberta, do Rexona, espera uma posição quanto às condições de Fabíola que treina em Saquarema e em se tratando de centrais, Juciely e Adenízia disputam a vaga. Carol companheira de Roberta no Rexona já foi cortada.

Fonte: GloboEsporte.com
Fotos: Divulgação/FIVB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...