quarta-feira, 13 de abril de 2016

JOGOS RIO 2016: William considera que ainda tem longo caminho para garantir vaga de 2º levantador da seleção brasileira

William considera que ainda tem longo caminho para garantir vaga de 2º levantador da seleção brasileira nos Jogos Rio 2016
William com os seis prêmios de melhor levantador das últimas edições consecutivas da Superliga e os três do Mundial de Clubes

Após a conquista do tetracampeonato da Superliga masculina de vôlei, o 50º título da carreira, e de ser eleito o melhor levantador da competição pela sexta temporada consecutiva, William, do Sada Cruzeiro, foi convocado para a seleção brasileira. Mesmo tendo seu nome na lista do técnico Bernardinho como o segundo da posição para a Liga Mundial e para os Jogos Olímpicos Rio 2016, William mantém os pés no chão.

“Ainda tem um longo caminho para ser o segundo levantador da seleção. Vou trabalhar muito visando esse objetivo, mas ainda não estou garantido”, afirma o capitão do Sada Cruzeiro, que completará 37 anos no dia 31 de julho, seis dias antes da estreia do vôlei masculino nos Jogos do Rio.

William ressaltou mais uma vez a temporada vitoriosa do Sada Cruzeiro de seis campeonatos e seis títulos – o hexacampeonato mineiro, o bicampeonato mundial de clubes e da Copa do Brasil, o tricampeonato sul-americano, o título da Supercopa e o tetracampeonato da Superliga.

“Foi uma temporada perfeita, espetacular, praticamente impossível de ser superada e o tetracampeonato da Superliga veio para coroar esse ano. Fomos valentes e comprometidos para lograrmos todos os nossos sonhos, e conseguimos. O que vem depois é preciso esperar para ver o que acontece. Foi uma conquista muito difícil e tem de ser muito valorizada”. 

William destacou um momento determinante na vitória de 3 sets a 1 sobre o Brasil Vôlei Kirin na decisão da Superliga, no domingo. “O ace do Éder no segundo set. A partir dali o time se soltou um pouco mais e conseguimos jogar mais tranquilos. O peso que se carrega de ser o favorito e ter de ganhar sempre não é mole e estávamos jogando sobre forte pressão até aquele momento”.

O levantador e capitão do Sada Cruzeiro também ressaltou a importância da conquista do 50º título na carreira e do prêmio de melhor levantador, que vem sendo uma constante – já são mais de 20 nos últimos dez anos e na Superliga, ele é recordista.

“Cinquenta títulos é uma marca bem expressiva. Com certeza é um feito de uma carreira vitoriosa. Esse tetracampeonato é especial porque conseguir se manter no topo, por tanto tempo, é muito complicado, muito mais do que a conquista de um título, e estamos conseguindo. O prêmio individual e sempre secundário em um esporte coletivo como o vôlei, mas prova que o trabalho realizado foi feito de forma correta. E isso me deixa muito contente”, concluiu.

Fonte: Georgia Infante
Foto: Divulgação

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...