segunda-feira, 21 de março de 2016

SUPERLIGA FEMININA 2015/16: Vôlei Nestlé quer fazer seu melhor jogo para vencer Rexona-Ades

Vôlei Nestlé quer fazer seu melhor jogo para vencer Rexona-Ades
Acostumados a disputarem decisões, os times realizam o primeiro confronto pela semifinal da Superliga nesta segunda-feira (21), às 18h30, no José Liberatti.

O confronto entre Vôlei Nestlé e Rexona-Ades pela semifinal da Superliga 2015/16 começa nesta segunda-feira (21), às 18h30, no ginásio José Liberatti, com transmissão do SporTV. Pela primeira vez na história, as equipes se encontram nesta fase da competição. Habituados a se enfrentarem em decisões, os times se preparam para escrever mais um capítulo na história do maior clássico do vôlei brasileiro. Com objetivo de abrir vantagem na disputa, o time de Osasco precisa neutralizar os pontos fortes do rival e aproveitar as oportunidades.

Para Thaisa, o Vôlei Nestlé tem que focar em fazer bem suas ações. "Nosso sistema ofensivo será determinante neste jogo, pois se tivermos com a nossa virada de bola efetiva, o defensivo vai funcionar naturalmente. Temos que focar naquilo que precisamos fazer. Não pensar tanto no que elas estão fazendo, mas dar prioridade nas nossas ações, já que quando erramos pouco e atuamos concentradas no nosso ataque jogamos com mais facilidade. Contra o Rexona será muito importante nosso saque para que o sistema defensivo funcione. Sacar bem e forte vai ajudar a colocarmos em prática nosso melhor jogo", destaca Thaisa.

A levantadora Dani Lins acredita que o time de Osasco precisa estar concentrado em fazer o seu melhor em quadra. "Estamos estudando bastante o time delas. O Rexona é uma equipe ajustada e que erra pouco. Temos que procurar as falhas delas e fazer o nosso melhor. Mesmo as equipes se conhecendo muito bem, os estudos minuciosos fazem com que encontremos brechas no jogo delas. Mas, da mesma forma que estamos vendo vídeos delas, elas também estão se preparando para enfrentar nossa equipe", afirma a jogadora.

Os clubes já se enfrentaram 77 vezes na Superliga e a equipe carioca leva vantagem com 44 vitórias contra 33 do time de Osasco. Nos últimos 19 jogos pela competição nacional, o Rio de Janeiro soma 11 vitórias contra oito de Thaisa e suas companheiras. São os dois times mais vitoriosos do vôlei brasileiro: dez títulos de Superliga e três Sul-Americanos pelo lado do Rexona-Ades, e a equipe de Osasco tem cinco conquistas de Superliga, é tetracampeão Sul-Americano e campeão do Mundial de Clubes, em Doha, 2012.

Cinco campeãs olímpicas - Vôlei Nestlé e Rexona-Ades é o confronto que reúne mais campeãs olímpicas. São três no time de Osasco (Thaisa, Adenízia e Dani Lins) e duas pelo lado do Rio de Janeiro (Natália e Fabi). Adenízia, Dani Lins e Natália estiveram no elenco vencedor nas Olimpíadas de Londres-2012. Já Thaisa e Fabi são bicampeãs, pois ganharam as medalhas de ouro de Pequim-2008 e Londres-2012. 

Doze selecionáveis em quadra - O clássico terá 12 jogadoras que foram convocadas pela seleção brasileira na temporada de 2015. São seis selecionáveis de cada lado: Thaisa, Adenízia, Dani Lins, Camila Brait, Suelle e Ivna, pelo Vôlei Nestlé, e Roberta, Gabi, Juciely, Natália, Monique e Carol, pelo Rexona-Ades. A única que não esteve em quadra foi a central Thaisa, que precisou passar por cirurgia nos dois joelhos em junho e não pode representar o Brasil no Grand Prix e nos Jogos Pan-Americanos de Toronto-2015. 

Três estrangeiras e quatro campeãs mundiais Sub-23 - A belga Lise Van Hecke, a cubana Kenia Carcaces e a americana Courtney Thompson são as estrangeiras deste confronto. As duas primeiras atuam pelo Vôlei Nestlé. Os dois clubes possuem em seus elencos quatro campeãs mundiais sub-23 de 2015: Gabi e Saraelen (Vôlei Nestlé), e Lorenne e Drussyla (Rexona-Ades) fizeram parte do elenco que conquistou o inédito título para a seleção brasileira. 

Fonte: ZDL - Rafael Zito
Foto: João Pires/Fotojump
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...