segunda-feira, 28 de março de 2016

SUPERLIGA B 2016: Presidente Peter Siemsen recebe elenco que classificou Fluminense para a Superliga 2016/17

Presidente Peter Siemsen recebe elenco que classificou Fluminense para a Superliga 2016/17
Meninas do Fluminense foram recebidas pelo presidente Peter Siemsen, 

Um dia após fazerem história e devolverem o Fluminense de volta à elite da Superliga, as guerreiras do vôlei tricolor foram recebidas pelo presidente Peter Siemsen, nas Laranjeiras. Na tarde desta segunda-feira, todo o elenco que fez parte da conquista da seletiva que rendeu ao Flu a última vaga para a principal competição da modalidade do país, além da comissão técnica liderada pelo técnico Hylmer Dias, do vice-presidente de Esporte Olímpico Márcio Trindade, do gestor Frederico Castro e do diretor Francisco Alegria.

Visivelmente emocionado pela conquista das guerreiras do vôlei, Peter Siemsen fez questão de agradecer a cada pessoa envolvida no sucesso deste projeto. Ele, como presidente, foi o responsável pelo pontapé inicial desse sonho, que se tornou realidade após a vitória por 3 sets a 1 sobre a equipe do São Bernardo. De acordo com o mandatário tricolor, ver o Fluminense de volta à elite do voleibol, um dos esportes de maior organização do país é muito gratificante.

- Com o orçamento do projeto fiquei impressionado. Não que não acreditasse no trabalho, mas com o orçamento que tinha, achei que seria muito difícil alcançar o objetivo. Mas quando o Márcio (Trindade) me contou que teríamos pessoas identificadas com o clube, jogadoras formadas aqui no Fluminense, com experiência em Superliga e que estariam voltando para unir com atletas ainda em formação.. esse é o espírito que temos de Fluminense. De ser um clube formador no esporte e mesclar experiência, pois isso é o que acreditamos que faz a diferença. Me emocionei bastante com essa conquista. Acompanhei o ponto a ponto por mensagem e vibrava com cada ponto nosso. Vôlei é um esporte espetacular e, na minha visão, um dos mais avançados em termos de organização no Brasil. Ver o Fluminense classificado para uma liga tão organizada como a Superliga é gratificante. Ainda mais sendo no feminino, pois estamos incentivando essa participação cada vez mais efetiva do nosso quadro feminino aqui no clube. É maior emoção ser presidente nesse momento. Quem sabe com as CND’s que conquistamos recentemente consigamos elevar esse projeto. Temos uma grande imagem de formação e esse ingresso na Superliga vai dar um efeito incrível no Fluminense. Todos envolvidos nessa conquista estão de parabéns – afirmou Peter Siemsen.

Grupo que colocou o Fluminense na elite do vôlei nacional foi recebido pelo presidente Peter Siemsen

Um dos mentores do projeto que levou o Fluminense a disputar a Superliga B, que culminou no vice-campeonato e, posteriormente, na na conquista da seletiva, o vice-presidente de Esporte Olímpico Márcio Trindade destacou a identificação das jogadoras com o Fluminense. Além das atletas que estão no início da carreira, o clube trouxe algumas jogadoras com experiência, mas já com passagens pelo clube anteriormente, que mostram a marca formadora do Tricolor das Laranjeiras. Ele aproveitou ainda para agradecer ao presidente por ter acredito nessa iniciativa.

- Lá nos Esportes Olímpicos temos conseguido caminhar, sempre respeitando os orçamentos e acima de tudo esse projeto foi muito de amor. Tivemos exemplos nessa caminhada de pura superação. Atletas se recuperando da noite para o dia e acada ponto víamos o amor de cada uma. Sempre pedi para que se divertissem em quadra e isso foi feito. Não montamos um time de aluguel, mas uma equipe com uma história com o Fluminense, com uma identificação. As jogadoras que chegaram abraçaram a nossa garotada, que quando entrou correspondeu. Se no futebol temos a molecada de Xerém, aqui nós temos essa terra que costumo dizer que é adubada em Laranjeiras. Só tenho que agradecer ao presidente Peter por ter acreditado nesse projeto – disse Márcio Trindade.

A levantadora Nathália Daneliczin, que com uma lesão não pode participar da seletiva final, era uma das mais emocionadas nesta segunda. Presente como auxílio da cadeira de rodas, a jogadora, com vasta experiência em grandes clubes do Brasil e tendo disputado algumas edições da Superliga, afirmou que recuperou a vontade de jogar voleibol atuando com a camisa do Fluminense. Ela lembrou ainda que a conquista da vaga para a elite da modalidade foi fruto de legítimo trabalho em equipe. Que começou com a idealização de Márcio Trindade, da aprovação do presidente Peter, da dedicação da comissão técnica e da união das jogadoras.

- O presidente falou para nós que fez muito pouco para essa conquista e que nós jogadoras fizemos o resto. Mas acredito que um clube é igual um formigueiro. Tudo começa com a formiga-rainha quando ela coloca os ovos. Então o presidente deu o pontapé inicial no projeto, com a aprovação do orçamento junto com o Márcio.. tudo isso foi primordial. E nossa comissão técnica, junto com a diretoria, foram os nossos soldados que que brigaram com a gente e principalmente por nós. Sabemos que muitos aqui têm outros trabalhos, então é um esforço de todos para fazer acontecer. Sou muito grata e tenho certeza que todas são. Foi uma das melhores temporadas da minha vida e estou muito orgulhosa e fazer parte desse grupo – disse, emocionada, Nathália Daneliczin, que teve o discurso completado pela capitã da equipe Arianne Tolentino.

Capitã da equipe, Arianne Tolentino posou com a taça de vice-campeã da Superliga B ao lado de Peter Siemsen

- Nós fizemos história aqui no Fluminense. Só tenho que agradecer ao presidente, ao Márcio, a toda a comissão técnica por esse esforço. Nós acabamos virando uma família. Foram muitas coisas que passamos juntas. Cada uma tem uma história, mas passamos por tudo isso juntos e o resultado veio nessa seletiva. Não tenho palavras para agradecer à comissão. Nós ganhar sete pais nessa caminhada. Obrigada pela chance, obrigada as meninas e obrigada Deus – encerrou a capitã Arianne Tolentino.

O Fluminense está de volta à elite do voleibol. Conhecido por ser um dos maiores clubes de formação no Esporte Olímpico, o Tricolor mostra que a receita de mesclar juventude e experiência pode sim trazer resultados. A torcida agora conta os dias para ver as guerreiras do vôlei na Superliga.

O técnico Hylmer Dias comandou o time formado por: Deborah De Souza Villar, Natasha Valente, Juliana Odilon, Arianne Tolentino, Rafaela Lima, Viviane De Jesus Evangelista, Jordane Tolentino, Rafaela Bernardes Patallo, Hellen Cristina Menezes, Júlia Parada, Gabriella Dutra, Beatriz Rezende, Julia Moura, Érika Lima, Edna Bugmann, Maria Clara Villarinho, Nathália Daneliczin, Raquel Buriti, Samantha Guzman, Giovanna Fant, Bianca Pereira. Guilherme Schmitz, Walace Machado e Adriano Freitas são os assistentes. Júlio Pastore é o preparador físico.

Comunicação Institucional FFC
Fotos: Mailson Santana – Divulgação FFC
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...