quinta-feira, 23 de julho de 2015

GRAND PRIX 2015: Brasil sofre a primeira derrota no Grand 2015

Brasil sofre a primeira derrota no Grand 2015 
Equipe brasileira foi derrotada por 3 sets a 0 pela Rússia 

Depois de 10 vitórias consecutivas na edição 2015 do Grand Prix, a seleção brasileira feminina de vôlei perdeu a invencibilidade. Nesta quinta-feira (23.07), o Brasil foi superado pela Rússia por 3 sets a 0 (25/19, 28/26 e 25/19), em 1h33 de jogo, no CenturyLink, em Omaha, nos Estados Unidos, pela fase final da competição. 

A vitória sobre o Brasil colocou a Rússia na liderança da etapa decisiva do Grand Prix, com seis pontos. Os Estados Unidos, que ainda enfrentarão a Itália na noite desta quinta-feira, estão em segundo, com três. A China, que hoje bate o Japão por 3 sets a 0, aparece em terceiro, também com três pontos, mas com um jogo a mais do que as norte-americanas. As brasileiras estão em quarto lugar, com três pontos, mas com um saldo de sets pior do que as chinesas. 

O time verde e amarelo buscará a reabilitação às 17h (Horário de Brasília) desta sexta-feira (24.02) contra o Japão. O SporTV transmitirá ao vivo. 

A ponteira Natália foi a maior pontuadora entre as brasileiras, com 11 pontos. A oposto Monique marcou 10 vezes e as centrais Juciely e Carol colaboraram com nove pontos cada uma. Pelo lado da Rússia, a atacante Goncharova foi a maior pontuadora da partida, com 24 acertos. 

A levantadora Dani Lins lamentou a derrota e lembrou que as brasileiras ainda têm muitos jogos pela frente. 

“Não jogamos bem taticamente na partida de hoje. O nosso saque não funcionou e acabamos não conseguindo bloquear. Temos que aprender com o jogo de hoje e já pensar no confronto de amanhã contra o Japão. O Grand Prix é um campeonato longo e ainda temos muita competição pela frente. Vamos descansar e apresentar uma postura diferente contra as japonesas”, disse Dani Lins. 

O treinador Paulo Coco comentou sobre a partida contra a Rússia e pediu uma maior concentração no jogo contra o Japão. 

“Temos que jogar com um pouco mais de lucidez nos momentos mais complicados das partidas. Algumas bolas importantes no segundo set contra a Rússia, nós não tomamos as decisões corretas. Sabemos que contra o Japão teremos que ter um pouco mais de concentração porque é um jogo que exige muito de nós. Agora, vamos reconstruir a nossa confiança para jogarmos bem amanhã”, afirmou Paulo Coco. 

O JOGO

Bem no saque, Rússia começou melhor e fez 8/3. Quando a Rússia fez 11/6, o treinador Paulo Coco pediu tempo. Com um ace da ponteira Natália, o time verde e amarelo encostou no marcador (11/8). O bloqueio das russas funcionava e a Rússia voltou a abrir no placar (14/10). A central Juciely conseguiu um ace e o Brasil voltou a se aproximar no marcador (19/17). A Rússia sacou bem no final da parcial e fechou o primeiro set por 25/19. 

O saque da Rússia seguiu dificultando a recepção das brasileiras no início do segundo set e as russas fizeram 9/6. A central Juciely fez dois pontos seguidos e o time verde e amarelo encostou (11/9). Bem no saque e nos contra-ataques, a Rússia voltou a abrir no marcador (16/13). Com uma boa sequência de saques da ponteira Gabi, o Brasil virou o placar (19/18). O final da parcial foi disputado ponto a ponto e a Rússia levou a melhor por 28/26. 

A Rússia manteve o bom momento no início do terceiro set e fez 4/2. Quando o placar estava 13/10 para as russas, o treinador Paulo Coco pediu tempo. Mesmo com a paralisação, a Rússia seguiu dominando as ações da partida. As europeias seguiram melhores até o final da parcial e venceram o set por 25/19 e o jogo por 3 sets a 0.

Fonte; CBV
Foto: Divulgação FIVB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...