sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

SUPERLIGA FEMININA 2014/2015:“Elas também dão o sangue fora das quadras”, Meninas da Uniara/Fundesport realizam doação ao Hemonúcleo de Araraquara

“Elas também dão o sangue fora das quadras”, Meninas da Uniara/Fundesport realizam doação ao Hemonúcleo de Araraquara
Meninas e Comissão Técnica da Uniara/Fundesport doaram sangue ao Hemonúcleo de Araraquara na manhã desta sexta-feira

Além de dar o sangue dentro das quadras pelas competições de alto rendimento a Equipe Feminina Uniara/Fundesport e Comissão Técnica motivadas pelo desejo de ajudar o próximo e sensibilizadas com as necessidades emergenciais do Hemonúcleo de Araraquara, mostraram nesta sexta-feira (16) que além de atletas, são pessoas mais que especiais e tiraram um tempinho para doar sangue ao Hemonúcleo da cidade.

Uma atitude super positiva e responsável que visa salvar vidas de muitas pessoas, principalmente neste período onde as demandas de sangue aumentam e muito, devido aos feriados e férias.

Segundo Sandra Mara Leão, técnica da equipe, este ato tem um valor inestimável muito mais para quem doa do que para quem recebe. “É um compromisso com a vida, um ato de cidadania, que representa o conhecimento e o exercício assumidos pelo indivíduo com relação aos seus direitos e deveres enquanto ser social”. E conclui, é fundamental que as atletas percebam a importância do seu papel na sociedade, como agente formador de opinião, multiplicador e disseminador de ações socialmente responsáveis.

“Nos sentimos honradas em participar de algo tão importante, fazer o bem é um sentimento indescritível que preenche a alma e nos faz perceber que o ser humano pode realmente fazer a diferença, uma prova de amor ao próximo, afirma Juliana Odilon, capita da equipe de Araraquara.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o percentual ideal de doadores para uma país esteja entre 3,5% e 5% de sua população. No Brasil esse número é preocupante, pois não chega a 2%. Esta quantidade, ainda sofre uma queda alarmante durante o inverno e as férias, período em que os hemocentros são praticamente obrigados a operar com menos que o mínimo necessário.

Alguns mitos de pessoas sem a devida instrução têm colaborado para que os hemocentros brasileiros recebam menos doadores.

Para Samanta Santos, preparadora física da equipe de Araraquara, o doador não corre nenhum risco. “A reposição do plasma leva 24 horas, as atletas não correm nenhum risco de queda de rendimento, retornando aos treinos no dia seguinte à doação.”

Segundo informações do Hemonúcleo de Araraquara, são atendidos 16 hospitais da região e com o aumento das demandas, os estoques de sangue estão baixos, e a necessidade de reposição é emergencial, sendo que os níveis percentuais de baixa correspondem a 10% - Rh positivos e de 30% - Rh negativos.

“É muito gratificante quando uma equipe ou grupo têm a atitude e consciência de doação, mostra que existem pessoas sensibilizadas em ajudar o próximo. Ficamos muito felizes com o contato da Equipe de Vôlei Feminino neste momento onde nossas demandas são emergenciais”, declarou Reinaldo Bonfá, médico e técnico responsável pelo Hemonúcleo de Araraquara.

Para cada doador ocorre a coleta de 460 ml de sangue. Uma única doação pode salvar a vida de até quatro pessoas. O processo de cadastro à coleta leva de 40 a 50 minutos.

Os interessados em seguir o ótimo exemplo da Equipe Feminina de Vôlei da cidade em salvar vidas mediante a doação de sangue ao Hemonúcleo devem entrar em contato pelo telefone - (16) 3301-6102 para obter todas as orientações necessárias. A unidade atende grupos programados e há também a opção de agendamento dos interessados, de segunda a sexta-feira das 7h ás 17h e aos sábados das 7h ás 13h.

Foto: COMUNICAÇÃO DA AFAV
Fonte: Jéssica Campos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...