quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

SUPERLIGA FEMININA 2014/15: Érika Coimbra tem melhora e já treina com bola no Brasília Vôlei

Érika Coimbra tem melhora e já treina com bola no Brasília Vôlei 
A experiente Érika voltou a treinar com bola

Após ver a classificação para as semifinais da Copa Brasil passar perto diante do Molico/Nestlé, o Brasília Vôlei iniciou a semana com boa notícia. A ponteira hexacampeã da Superliga, Érika Coimbra voltou a treinar com bola nesta quarta-feira (14) no Ginásio do Sesi. Ela participou normalmente das atividades de alongamento, aquecimento e bloqueio.

A atleta ficou fora dos últimos dois jogos do Brasília Vôlei (contra o Molico/Nestlé no dia 09/01 pela Copa Brasil e São Bernardo, no dia 05/01 pela Superliga) por conta de uma lesão sofrida em novembro do ano passado. Érika teve um rompimento parcial no tendão do ombro direito e desde então tem sido tratada para que não necessite fazer uma cirurgia, o que tiraria a jogadora do restante da Superliga.

Érika Coimbra está se sentindo bem e comemora o retorno aos treinos. “Estou melhorando cada dia mais e continuo trabalhando com o Rodrigo (fisioterapeuta da equipe) para que em breve esteja novamente nas quadras ajudando meu time”, afirma. A previsão de retorno aos jogos, segundo o departamento médico, é de nove a dez dias, portanto ela ainda deve desfalcar o o Brasília Vôleina próxima partida, diante do São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP), fora de casa, no dia 23/01.

Lesões têm sido frequentes

Atualmente apenas Érika Coimbra segue no departamento médico do Brasília Vôlei , mas o retrospecto aumentou consideravelmente nos últimos meses. De novembro de 2014 até janeiro de 2015, foram seis atletas lesionadas: Érika Coimbra, Jéssica, Ananda, Roberta e Verê. Essas lesões não tem permitido o técnico Sérgio Negrão ter em mãos todo o elenco disponível na Superliga. O treinador lamenta, mas valoriza a equipe. “Apesar de não conseguir ainda colocar um time 100% em quadra, nós temos um elenco qualificado para enfrentar qualquer adversário. Atingimos um padrão alto e conseguimos vitórias mesmo sem jogadoras importantes”, conta.

Sobre o acúmulo de contusões, quem explica é o preparador físico, Lucas Tessutti. “Tirando a Jéssica, que teve uma lesão em jogo, as demais sofreram sobrecarga e isso acontece em qualquer equipe. Nós vemos que com mais jogos e mais treinos, o time evoluiu técnica e fisicamente, entretanto isso gera um esforço e desgaste maior fazendo com que a atleta atinja o limite físico, ainda mais com uma sequência alta de jogos que tivemos no fim do ano passado”, finaliza.

Fonte e Foto: Divulgação Brasília Vôlei 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...