sexta-feira, 29 de agosto de 2014

VENCEDORA: Por baixa estatura, Camila Brait quase deixou de jogar vôlei

Por baixa estatura, Camila Brait quase deixou de jogar vôlei 

Desde a conquista do bicampeonato olímpico em 2012, a seleção brasileira de vôlei vem com Dani Lins, Fabiana, Fernanda Garay, Jaqueline, Sheilla e Thaísa como titulares. Entre elas houve apenas uma mudança nesses dois últimos anos, a saída da líbero Fabi, para a entrada de Camila Brait, que quando mais nova queria ser atacante mas ficou sem espaço por ter apenas 1,70m de altura e para não ter de se limitar a defesa, deixou o esporte por dois anos.

"Gostava de atacar. No começo eu odiava ser líbero", admitiu a nova titular da posição em 2013, em entrevista ao site "Paratleta Brasil". "Todos os técnicos diziam que eu não tinha altura para jogar em outra posição, mas eu não gostava mesmo de só defender. Queria fazer o mesmo que outras jogadoras, e não cuidar de um fundamento só. Eu cheguei até a parar de jogar por um tempo", completou Brait.

Por insistência de Bethânia Melo, técnica, Camila voltou ao vôlei, aprendeu alguns fundamentos da posição e começou a se dedicar pelo fato de outros técnicos perceberem que a defesa era sai grande virtude, porém antes, ainda tentou ser levantadora na base. "Vi que a líbero tem papel muito importante na equipe, entendi alguns fundamentos e resolvi me dedicar". E essa dedicação mudou radicalmente sua vida, pois aos 15 anos saiu de sua cidade natal, Frutal (MG), foi pra Uberlândia, depois São Caetano, até que em 2008 foi contratada pelo atual Molico/Osasco, clube que defende até hoje.

Em 13/06 Fabi oficializou sua aposentadoria da seleção brasileira e então José Roberto Guimarães colocou Camila para ser titular e a mesma já disputou Montreux (ficando em 5º lugar) e Grand Prix (onde foi campeã).

"Foi uma decisão muito difícil. Pensei nisso durante todo o ano passado e até este momento. Refleti sobre o que eu já tinha feito na seleção brasileira. A minha relação com a seleção foi o melhor casamento que poderia acontecer. Tivemos dois filhos, que foram duas medalhas olímpicas, e procurei sair desse casamento com muita lucidez, estando consciente de que foi bacana, que deu tudo certo e que eu fiz tudo que tinha para fazer. Contribuí da melhor maneira possível e deixo uma história bacana. A minha missão foi cumprida", avaliou Fabi na época.

O técnico Zé Roberto que esteve ao lado de Fabi em sua entrevista de despedida, disse: "Sempre houve uma disputa forte entre as duas [Camila Brait e Fabi]. Camila se preparou desde 2009, aprendendo muito com a Fabi. Elas se alternaram em determinados períodos nos campeonatos. A oportunidade aparece em dois momentos: numa crise e quando é o momento certo. Agora é a hora dela. Vai assumir um time que é bicampeão olímpico, vai ser bastante cobrada e espero que emocionalmente tenha se preparado para isso", avisou o comandante. E após a mudança no posto, já pode-se notar mudança de comportamento pois Brait é notadamente mais tímida e o técnico Zé Roberto que ela grite mais com as companheiras. E ela não é reservada apenas em quadra. Brait não fala, mais já recebeu proposta de casamento dos fãs, mas é casada desde 2013.

Mesmo com o título, o Brasil teve desempenho irregular no passe em alguns momentos, tanto que o prêmio na função ficou com a vice-campeã Yuko Sano que também faturou o prêmio de melhor jogadora.

Camila Brait não terá muito tempo para se acostumar pois seu próximo desafio como titular já é no mês que vem, o Mundial, a partir do dia 23 em Trieste, na Itália. E convenhamos que este ciclo é fundamental para jogadora, pois na última hora ela foi cortada das olimpíadas de 2012 em Londres. Zé Roberto preferiu levar Natalia que se recuperara de uma lesão.

"É um recomeço para mim. Sabia que seria muito difícil ficar no time, da disputa que seria lá [em Londres] por um lugar na seleção. Estou muito feliz por ter voltado", disse Brait ao jornal "Folha de S.Paulo" um ano depois dos Jogos Olímpicos.

Para o Mundial, a seleção terá novatas entre as reservas, mas entre as titulares Brait será a que tem menos experiências, porém, após vencer a etapa de rejeição inicial, a pouca rodagem na competição já se torna um desafio cada vez menor.

Fonte: UOL Esporte
Foto: Divulgação
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...